Ou mundo ideal

Seguindo a reflexão abstrata e subjetiva do post anterior, sobre se a montanha representa de fato “o mundo real” – minha mente dialética propõe uma crítica a esse pensamento. Seria a montanha uma espécie de “mundo ideal”, e portanto, uma fuga da “realidade” imposta pela vida nas cidades? Acho que isso implica em uma pergunta filosófica … Continuar lendo Ou mundo ideal

Observatório

Os últimos dois dias foram de fortes emoções aqui neste triste trópico. A tragédia, a catástrofe que vitimou a delegação da Chapecoense e vários jornalistas deixou o Brasil aos pratos. Eu mesmo chorei por eles. Hoje se sabe que foi culpa do piloto e da ganância de sua empresa. Escutei um áudio do dono do hangar do … Continuar lendo Observatório

Entre muros

Certa vez li um artigo escrito por um urbanista que dizia, a cada muro que erguemos na cidade, estamos dizendo que somos um fracasso como sociedade. Caminhando pelo meu bairro aqui no Rio de Janeiro tenho muito nítida essa sensação. Transito entre muros e por calçadas estreitas. Ao lado, ônibus assassinos e carros multiplicados terminam … Continuar lendo Entre muros

#ForçaChape

Não é uma tragédia do futebol. É uma tragédia humana. Eu particularmente não cultivo paixão pelo futebol, mas sei como essa paixão move e comove corações do mundo todo. Os jogadores são símbolos de esperança e alegria. Perder isso, de um modo tão brutal como esse, é uma tragédia devastadora. Estou muito comovido. #ForçaChape Continuar lendo #ForçaChape

Surpresas matinais

Ultimamente as manhãs aqui no Brasil podem trazer notícias surpreendentes. É comum acordar com casos bombásticos, como a prisão de algum cacique político, alguma operação da PF. Algum novo escândalo. Escândalo é rotina. Hoje, entretanto, acordamos com a notícia da queda do avião da Chapecoense. 76 mortos. 5 sobreviventes. Uma tragédia incalculável, devastadora. Um time … Continuar lendo Surpresas matinais

elogio da solidão

Dizem que uma das tragédias modernas é a ansiedade provocada pelas novas redes sociais. Nossa “tragédia”, ou paradoxo, talvez seja viver numa era onde, como nunca antes, compartilhamos nossas experiências e conhecimentos de forma aberta e comunitária, mas o efeito disso, é o distanciamento de nós mesmos. Não quero dizer que evitar o encontro consigo mesmo … Continuar lendo elogio da solidão